• Dra. Nathália Lins Pontes Vieira

Abscesso e Fístula Anal

Atualizado: 19 de out. de 2020

O Abscesso Anal na maioria das vezes é consequência da inflamação de glândulas anais, que evoluem com infecção local. Após a drenagem espontânea ou cirúrgica, quase metade dos casos de abscesso podem evoluir para fístulas. As fístulas são comunicações entre o ponto de drenagem na pele e a glândula no canal anal.





Tanto os abscessos quanto as fístulas podem acometer homens e mulheres em qualquer idade. Os principais sintomas do abscesso são dor, abaulamento e febre. As fístulas anais não costumam causar dor, seu principal sintoma é a saída de secreção.



Fig. 1: Tipos de Abscessos Anais

Fig 2.: Tipos de Fístulas Anais


Diagnóstico


O diagnóstico é clínico, ao exame proctológico feito na consulta. A Ressonância Magnética pode ajudar a complementar informações sobre a fístula, mas nem sempre é necessário.


A colonoscopia e outros exames podem ser importantes em alguns casos, para diferenciar a causa do abscesso ou fístula de outras doenças, como a Doença de Crohn, DSTs e até mesmo câncer.


Tratamento


O abscesso anal é tratado com antibióticos e drenagem local, que pode ocorrer de forma espontânea ou por procedimento cirúrgico de urgência.


O tratamento das fístulas é sempre cirúrgico. Existem várias opções descritas, e a indicação varia para cada caso. Entre as principais técnicas cirúrgicas estão a fistulotomia, fistulectomia, o retalho de avanço e o LIFT.


A principal complicação das fístulas é a incontinência fecal, como consequência das lesões na musculatura anal. E dependendo do tipo de fístula e da técnica cirúrgica usada, há mair ou menor risco de incontinência ou falha no tratamento.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo