• Dra. Nathália Lins Pontes Vieira

Incontinência Fecal

A incontinência fecal pode afetar qualquer pessoa, de qualquer gênero ou idade. No entanto é mais comum em idosos e mulheres. É a incapacidade de conter os gases ou fezes, o que traz grande prejuízo à qualidade de vida.



Fatores de Risco


Entre os principais fatores de risco, além da idade, estão os partos vaginais (principalmente a partir do segundo parto, com período expulsivo prolongado e crianças acima de 4kg), constipação crônica, cirurgias anorretais e doenças neurológicas.


Diagnóstico


O diagnóstico é clínico, pela queixa de escape de conteúdo fecal. A manometria anorretal é o exame que mede as pressões anais de repouso e na contração, trazendo uma estimativa mais objetiva da incontinência. Outros exames como o ultrasson endo-anal e a eletroneuromiografia auxiliam na definição das causas e tratamentos para a incontinência por consequência de lesões musculares ou neurológias.


Tratamento


O início do tratamento é baseado na dieta adequada, pois fezes líquidas trazem mais prejuízo à continência. O tratamento específico depende da causa da doença, desde a fisioterapias anais (biofeedback), até cirurgias para reconstrução da musculatura (Esfincteroplastia e Reconstrução do Assoalho Pélvico) ou estimulação neurológica (Eletroneuroestimulação).


#incontinenciafecal #incotinencia #pelve #saudepelvica #assoalhopelvico #dranathalialpvieira #coloproctologia #coloproctologista #medicina #saude #cirurgia

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo